quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

O Abrigo A.L.M.A. e a juventude de Itacuruçá

[ Calendário Justiça-ALMA As datas das visitas a princípio são (precisamos da confirmação do local a cada mês): * 16/02; 08/03; 26/04; 17/05; 14/06; 05/07; 02/08; 27/09; 11/10; 08/11; 06/12 e 13/12 ]

Reunião sobre o A.L.M.A. e sobre a Justiça em 2008
(10/02/2008 às 12h35)

1ª reflexão prática

Introdução
Somos rotulados por todos os lados! Questiona-se a nossa relevância, a nossa eficácia, a concretude, o sentido, o diferencial e o impacto efetivo de nossas ações. Os questionamentos são legítimos, mas muitas vezes unilaterais. Vejam:

Em 2007
Nenhum mês deixou de haver arrecadação
Quase todos os meses fizemos atividades com as crianças, envolvendo-as em brincadeiras, contando histórias com fantoches e pequenas encenações teatrais
Um grande número de pessoas que não conhecia o ALMA passou a conhecê-lo
Organizamos uma lista de arrecadadores fixos
Delegamos Diego Cândido como responsável pelo trabalho com o ALMA, e uma pequena equipe para auxiliá-lo nessa tarefa (isto também está sendo revisto)

A conclusão disto tudo é que temos agido concretamente sim. Como diz Paul Freston, em seu livro Neemias: um profissional a serviço do Reino: “toda vez que se age concretamente na igreja ou na sociedade logo se recebe rótulos... os rótulos nos frustram”. Não podemos deixar os rótulos serem impedimentos para a realização da Obra.

Conclusão
O trabalho de apoio, acompanhamento e assistência ao A.L.M.A. (apoio às crianças e à estrutura que as mantém) deve continuar! Devemos continuar com a visitação! Levar amor e carinho também é parte da missão. Mas não podemos deixar de questionar o que tornará o trabalho mais efetivo na transformação da vida daquelas crianças e das famílias ali implicadas. Muito nos é pedido e lidar com tantas demandas é um longo processo que exige parceria. Se os jovens daqui não se unirem, tal trabalho não ocorrerá. (“Uma andorinha não faz verão” – ditado popular)

2ª reflexão prática


Necessidades para manter a visitação:
1. Estrutura de transportes, como será em 2008? Carros das pessoas, vans da igreja, ônibus de linha? (quem se habilita nessa área?)
2. Atividades com as crianças (fantoches, encenações teatrais, abordagem de temas de saúde e espiritualidade) A arte é essencial aqui. Quem cuidará disso?
3. O calendário precisa ser repartido entre as pessoas que querem se comprometer. Levar a carga de um ano inteiro nas costas não é bom. Tanto na organização das atividades com as crianças quanto na estrutura de transporte é preciso repartir as obrigações ao longo do ano, em escalas.
4. A música. A música é instrumento maravilhoso de Deus para alcançar e enriquecer espiritualmente a vida das crianças. Precisamos de músicos comprometidos.
5. Algo que muito acrescentaria ao trabalho seria obter a ajuda direta de pessoas do ministério infantil de nossa igreja. Como fazer o contato?

3ª reflexão prática

A arrecadação
A lista do ano passado continua com algumas alterações. A entrega do dinheiro, até segunda ordem, continua sendo direta na mão dos responsáveis pelo trabalho (por enquanto: Pedro Grabois). Precisamos ainda definir como será o esquema com a igreja (envelope de dízimo, etc.).
Precisamos aumentar a lista de contribuintes e de arrecadadores! Quem se dispõe a contribuir e quem se dispõe a correr atrás de mais contribuintes?

4ª reflexão prática

Por que o trabalho de assistência ainda está tão pequeno e caminha tão longe do trabalho de articulação política e de defesa de direitos?

3 comentários:

Renata Cristina disse...

Quero complementar o que o Pedro disse com relação as atividades desenvolvidas pelos Jovens no ALMA. Além do que ele falou, levamos a mensagem das boas novas para as crianças através de uma linguagem apropriada para sua faixa etária. E creio que a semente plantada no coraçõa daquelas crianças pode vir a dá fruto. Também existem crianças que oraram pedindo a Jesus para habitar em seu coração e dirigir suas vidas. Não pode confirmar se todos foram sinceros, com entendimento real do que significa esta escolha. No entanto, eles conhecem Jesus e sabem que ele os ama. Aliás a música mais pedida é oba Jesus me ama.
E Jesus os ama mesmo. Mesmo que pai e mãe nos abandone Deus nunca nos deixará.
Nosso trabalho não tem sido em vão. Mas creio também que podemos ter um olhar reflexivo sobre nossas ações para poder ampliar nosas práticas e esse é um desafio que nos acompanhará sempre. Por isso o momento de começar é agora mesmo.
Um abraço a todos Renata

Renata Cristina disse...

Quero complementar o que o Pedro disse com relação as atividades desenvolvidas pelos Jovens no ALMA. Além do que ele falou, levamos a mensagem das boas novas para as crianças através de uma linguagem apropriada para sua faixa etária. E creio que a semente plantada no coração daquelas crianças pode vir a dá fruto. Também existem crianças que oraram pedindo a Jesus para habitar em seu coração e dirigir suas vidas. Não pode confirmar se todos foram sinceros, com entendimento real do que significa esta escolha. No entanto, eles conhecem Jesus e sabem que ele os ama. Aliás a música mais pedida é oba Jesus me ama.
E Jesus os ama mesmo. Mesmo que pai e mãe nos abandone Deus nunca nos deixará.
Nosso trabalho não tem sido em vão. Mas creio também que podemos ter um olhar reflexivo sobre nossas ações para poder ampliar nosas práticas e esse é um desafio que nos acompanhará sempre. Por isso o momento de começar é agora mesmo.
Um abraço a todos Renata

Christina Amorelli disse...

Oi Pedro!

Espero que a reunião sobre o ALMA e a Justiça sejam antes das minhas
férias para IBIZA.

Bjos.