quarta-feira, 26 de setembro de 2007

O impacto da violência sobre crianças e jovens

"É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor."
(Artigo 18 do ECA-Estatuto da Criança e do Adolescente)
-
Na terça-feira dia 4 de Setembro, estive junto com o André Coelho durante toda a manhã e tarde na Assembléia Legislativa do Rio (ALERJ), num evento que está na sua 4ª edição, salvo engano, chamado Caravana Comunidade Segura. Este ano estão discutindo "O impacto da violência sobre crianças e jovens". Caravana ainda está rodando outras capitais do Brasil e é organizada pelo Viva Rio (ONG).
Naquele dia na ALERJ, nos apresentaram basicamente três coisas: a) o PROGRAMA DE SEGURANÇA HUMANA da Caravana Comunidade Segura 2007; b) o SINASE-Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, organizado pela SEDH-Secretaria Especial de Direitos Humanos e pelo CONANDA-Conselho Nacional dos Direitos da Criança e dos Adolescentes; e c) o PRONASCI-Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, apresentado pelo Ministério da Justiça do Governo Federal.
O evento não estava defendendo o PRONASCI, estava apenas apresentando-o e lá pudemos parar para considerar o que o programa apresentava de positivo e de avanço em relação ao passado e o que ele ainda apresentava de deficiente.
Uma das coisas que me chamou atenção foi o fato de que a proposta de um efetivo aumento do piso salarial da polícia foi substituída por uma bolsa-formação. Isso pareceu frustar muitas pessoas ali presentes. Falando nas pessoas presentes, lá encontrávamos membros ativos de associações de moradores de comunidades, ONG ativas em comunidades, como PRAZERES e MARÉ.
Bom, o assunto é longo e complexo. Foi muito bom estar ali justamente para ver como tem diversas pessoas se reunindo para mudar um pouco da realidade que nos cerca. Um ponto positivo é a preocupação de construir algo que integre Governo e Sociedade Civil (ONGs, líderes comunitários, religiões, etc.).
Uma coisa importantíssima que não podemos esquecer ao nos lançarmos neste trabalho, que reivindica direitos para crianças e adolescentes de todo o Brasil e para toda a população em geral, é que é um trabalho que pode e deve ser feito com crítica, mas deve ser feito. As instituições são imperfeitas mesmo, cabe a nós, não dar as costas a elas, mas chegar junto e cobrar delas outra postura quando necessário. Refiro-me ao Estado, às ONGs, às igrejas, às autoridades, etc.
Nós, que temos contribuído um pouco com a realidade ali do abrigo de crianças ALMA, precisamos também nos preocupar com o que o governo tem feito e o que, enquanto Sociedade Civil organizada, podemos fazer para mudar a realiade do "menor abandonado" e do "maior abandonado". Espero que possamos trocar ainda muitas idéias e ações sobre este assunto. Tem um material bem vasto comigo, quem quiser acessá-lo é só me contactar.
Um grande abraço a todos,
Pedro Grabois

4 comentários:

Marcos Vichi disse...

Parece clichê, mas investir na educação é o melhor meio para reverter este quadro de miséria e falta de esperança que paira sobre muitos setores das populações carentes.

O mercado de trabalho está cada dia mais informatizado e exigente. Como arrumar um emprego sem saber ler direito e escrevendo muito mal?

Como a igreja pode ajudar? Esta é a pergunta que precisamos responder.

Um abraço,

Marcos Vichi

http://compartilhandopalavras.blogspot.com/

Itajovens-Justiça disse...

"Como a igreja pode ajudar?"
Pois é. Essa pergunta não tem sido feita muitas vezes. E quando é feita não parece haver um real compromisso de respondê-la.
Que nós possamos juntos nos comprometer a responder esta e outras perguntas; e claro, a formular novas perguntas.
Abraço,
Pedro.

Anônimo disse...

Oi Pedro e demais amigos da Justiça

Aqui é o André (Pancinha) de Rio do Sul. Quebom ver o movimento dos jovens da nossa querida igreja para o trabalho no Alma e agora no Desafio Jovem. Sei que a organização e esforço de vocês não tem sido atoa. Deus, que nos vê lá dos céus (mesmo sabendo que vocês não estão fazendo assim para receber algo em troca) vai abençoá-los assim como vocês tem abençoado as pessoas que passam por vocês.

Um abraço grande aqui do Sul do Brasil

André (ou pancinha)

Pedro Grabois disse...

Pancinha!!!
Como vão as coisas por aí?
Que bom ter a sua presença aqui!! Vou dar um pulo lá no filhoprodigo.blogspot.com de novo em breve!
Grande abraço pra ti!

Marcos Romão,
Cara eu vi teu comentário lá naquele blog! Até chorei de emoção. Realmente é triste ver as pessoas mutilando o Evangelho assim com uma retórica desonesta. Agradeço a Deus pela sua vida. Você me abençoa muito cara!
Abração,
Pedro.